RSSFacebookTwitterYouTube

Monatsarchiv für outubro 2008

 
 

Vale a pena ver de novo

Dois anúncios que já foram postados no blog mas, por terem uma ótima redação publicitária, vale a pena ver de novo.

Títulos que são verdadeiras aulas e estão entre os melhores já publicados no blog.

• W/Brasil para a Folha de São Paulo

• TBWA de Vancouver para The Lung Association

Reforma Ortográfica

Reproduzo na íntegra as informações expostas no site da agência DPTO sobre a Reforma Ortográfica e desde já parabenizo ao excelente texto por eles publicado. Confiram.


1. Alfabeto com 26 letras
O alfabeto cresce com a entrada das letras “k”, “w” e “y”. Ok, você já usava, mas agora é oficial.

2. O fim do trema
O trema desaparece em todas as palavras escritas em português, permanecendo apenas em nomes próprios e palavras estrangeiras. Se o seu nome é Müller, fique tranquilo.

3. O fim do acento agudo em ditongos abertos
O acento agudo desaparece nos ditongos abertos “ei” e “oi”, como em “ideia” e “heroi”.

4. O fim do acento em “i” e “u” tônicos
O acento agudo desaparece nas palavras paroxítonas com “i” e “u” tônicos precedidos de ditongo. Por exemplo: a “feiura” fica mais bonita sem o acento.

5. O fim do acento tônico na raiz
O acento agudo desaparece nas formas verbais com acento tônico na raiz, com “u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i” (”apazigue”,”averigue”).

6. O fim do acento circunflexo em duplo “o” e duplo “e”
O acento circunflexo some das palavras com duplo “o” e duplo “e”. As terceiras pessoas do plural do presente do indicativo dos verbos “crer”, “dar”, “ler”, “ver” e seus derivados ficam assim: “creem”, “deem”, “leem” e “veem”. As palavras terminadas no hiato “oo” ficam assim: “enjoo” e “voo”.

7. O fim do acento diferencial
Desaparecem os acentos agudos e circunflexos que diferenciam as seguintes palavras:

Pára (verbo parar) / para (preposição)
Péla (verbo pelar) / pela (preposição + artigo)
Pólo (substantivo) / polo (preposição arcaica)
Pélo (verbo pelar) / pêlo (substantivo) / pelo (preposição + artigo)
pêra (fruta) / péra (substantivo arcaico) / pera (preposição arcaica)

8. O fim do hífen antes de “s” ou “r”
O hífen some quando o segundo elemento da palavra começar com “s” ou “r”. Neste caso, as consoantes são duplicadas (”antissemita”, “contrarregra”). Execeção: prefixos terminados em “r” mantêm hífen (inter, hiper, super).

9. No português lusitano
O vocabulário português ficará mais parecido com o nosso. Eles vão abolir o “h” de palavras como “húmido” e “herva”. Consoantes mudas (”c” e “p”) em palavras como “acção”, “acto”, “óptimo” e “baptismo” também desaparecerão.

10. Cronograma
16/12/1990: O acordo para unificar o registro escrito nos oito países que falam português é assinado em Lisboa.
29/09/2008: Na Academia Brasileira de Letras, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assina o decreto que estabelece o cronograma para a vigência do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.
Janeiro/09: O acordo entra em vigor.
Até dezembro/2012: Tanto as normas atuais quanto as propostas pelo acordo podem ser usadas em exames escolares, vestibulares, concursos públicos e demais meios escritos.


Reforma Ortográfica | DPTO

Sexta-feira merece uma boa dica. Confiram o website da agência DPTO, eles oferecem um conteúdo interessante sobre a reforma ortográfica.

http://www.dpto.com.br/

P.S.: Se alguém souber links e dicas sobre a reforma ortográfica pode postar nos comentários que publicarei no blog em breve.

Harley-Davidson | MatosGrey

Campanha criada pela MatosGrey para a Harley-Davidson. Bons títulos. Vale a pena conferir.


Vírgulas em comum

Dia 14 de outubro, quarta-feira, assisti ao novo comercial criado pela Africa para a Associação Brasileira de Imprensa e, como todo filme da Africa, é uma puta idéia super produzida, mas o impressionante é como a vígula e outros sinais de pontuação se tornam com frequência temas de campanha. Veja abaixo o filme criado pela Africa e mais duas campanhas com a vírgula no papel principal.

Talent para a Fundação Doe Vida

Fallon para o Citibank

Estágio | Mohallem Meirelles

Campanha criada para divulgar a vaga de estágio na área administrativa-financeira da agência Mohallem Meirelles e, como de costume da Mohallem, mais uma ótima série de anúncios alltype.




Contramão | Washington Olivetto

Para a reflexão de todos.

“Criatividade é ir pela contramão”.
Washington Olivetto.

Há um ano atrás | Primeiro Post

Hoje, publico o primeiro post do blog, pois vale a pena ser lembrado um ano depois.


Pensei, pensei e pensei, mas não demorei para decidir sobre o primeiro post. Já que o blog tem ênfase em redação, nada melhor que começar com um comercial super premiado que dispensa qualquer comentário, feito por um ótimo redator. É claro que todo publicitário que se preze conhece esta peça, mas mesmo assim vale o post inaugural.

Uma Puta Sacada, ou melhor, um puta texto, ou os dois, sei lá.

A semana

Para um preso, menos 7 dias
Para um doente, mais 7 dias
Para os felizes, 7 motivos
Para os tristes, 7 remédios
Para os ricos, 7 jantares
Para os pobres, 7 fomes
Para a esperança, 7 novas manhãs
Para a insônia, 7 longas noites
Para os sozinhos, 7 chances
Para os ausentes, 7 culpas
Para um cachorro, 49 dias
Para uma mosca, 7 gerações
Para os empresários, 25% do mês
Para os economistas, 0,019 do ano
Para o pessimista, 7 riscos
Para o otimista, 7 oportunidades
Para a terra, 7 voltas
Para o pescador, 7 partidas
Para cumprir o prazo, pouco
Para criar o mundo, o suficiente
Para uma gripe, a cura
Para uma rosa, a morte
Para a história, nada

Para Época, tudo

PS: Ótimo redator é pouco. Se alguém ainda não sabe, o comercial foi criado por Washington Olivetto

FICHA TÉCNICA

DIRETOR DE CRIAÇÃO: Washington Olivetto e Gabriel Zellmeister
CRIAÇÃO: Alexandre Machado e Jarbas Agnelli
PRODUTORA: AD Studio
DIRETOR DO FILME: Jarbas Agnelli
FOTÓGRAFO: Miro e Marcio Scavone
MONTADOR / EDITOR: Jarbas Agnelli
FINALIZADORA: AD Studio
PRODUTORA DA TRILHA: AD Studio
APROVAÇÃO D0 CLIENTE: Paulo Gregoraci

PROMOÇÃO UM ANO DE PUTA SACADA

Hoje, dia 10 de outubro, o blog completa um ano de existência e, para não fugir do clichê, quem ganha é você. No dia 10 de dezembro será sorteada uma bola de vôlei para todos aqueles que escreverem um comentário neste post com o seu nome e e-mail de contato. Participe!

Como participar?
Basta você escrever um comentário neste post com o seu nome e e -mail de contato

Inscrições:
até 5/12/2008

Data do sorteio:
10/12/2008

H2OH! | AlmapBBDO

Faço este post nem tanto pela campanha, mas pelo produto. Tudo bem que a redação está bem feita e possui ótimos argumentos, mas creio que o motivo de todo o sucesso das ações já criadas pela Almap para a H2OH! está na própria H2OH!, pois como Bill Bernbach diz: a mágica está no produto.


Como citado no site do CCSP, a campanha terá diversos desdobramentos, mas a H2OH! ainda não revela quais serão as próximas ações.

Mané Sagaz | Quê Comunicação

Campanha para lançamento do novo cd da banda de samba-rock Mané Sagaz. Os outdoors eram alterados, conforme a sequência abaixo, durante os dias da bi-semanam até a data marcada onde aconteceu o show da banda. Ótima idéia.




Brastemp | DM9DDB

Campanha criada para a Brastemp pela DM9 para promover os novos produtos da linha You. Os títulos brincam com nomes próprios para divulgar a possibilidade do produto ser persolalizado pelo cliente. Após a piada com os nomes, a assinatura posiciona o produto e direciona a campanha para as pessoas que não querem saber mais de ninguém escolhendo nada por elas. Confira.




Quem assina a redação é Alexandre Abu.
Tente invertar alguns nomes, é um bom exercício para redatores e, além de estimular a criação, resulta em ótimas risadas.

Licença Poética | Caixa Econômica Federal

O conteúdo abaixo faz uma análise gramatical do atual slogan da Caixa Econômica Federal e foi encontrado no blog do Sérgio Nogueira que diariamente esclarece as dúvidas de redação dos seus leitores. Vale a pena conferir o texto pois ele menciona a famosa licença poética que geralmente é utilizada na publicidade e que sempre gera discussão.


Onde está o erro?

“Vem para a Caixa você também”?
Não é propriamente um erro. O que nós encontramos na frase acima é uma marca típica da língua coloquial brasileira: a mistura de tratamento (segunda com terceira pessoa). Na chamada língua padrão, é mais conveniente que haja correspondência: ou na segunda pessoa (“VEM para a Caixa TU também”) ou na terceira pessoa (“VENHA para a Caixa VOCÊ também”).
Isso deve ser aplicado em textos formais. Em se tratando de uma peça publicitária, assim como na música e na poesia, há liberdades lingüísticas. É a famosa licença poética onde o conceito de certo ou errado não se aplica. O que vale é a expressividade.


Saiba mais sobre licença poética.

Lua Nova | GrupoNove

Ótima campanha criada pela agência GrupoNove para a produtora Lua Nova, A idéia ficou ótima e a diagramação valoriza a tentativa de onomatopéia para reproduzir algum barulho muito estranho. O mote: a gente faz o som que ninguém faz, foi perfeitamente explorado pela idéia.


podcast do putasacada
calcule o tempo de leitura
contador de caracteres